L'itinérance

“Cinema: It is a ribbon of dreams.” (Orson Welles)

Filme: V de Vingança (“V for Vendetta”)

V for Vendetta, movie

V de Vingança (V for Vendetta, EUA, 2005), tem a direção de James McTeigue. Integram o elenco: Natalie Portman, Hugo Weaving, Stephen Rea. Tem duração de 132 minutos. O palco do filme é a Inglaterra de meados do século XXI. À época, o mundo vivia uma crise sem proporções. Os Estados Unidos da América, antiga potência dominante, havia entrado em franca decadência. Peste, guerra, fome, terror, enfim, o caos, tomava conta do planeta. A Inglaterra era uma exceção a essa regra. Assolada por todos esses problemas, mas em especial pela propagação de um vírus mortal, o país aceita se submeter ao controle de um governo forte, que busca manter a ordem unicamente através da opressão. Surge então, é claro, uma oposição, liderada pelo revolucionário V. Este consegue apoio da jovem Evy e, juntos, os dois lideram o povo inglês em uma jornada em busca da verdade, resgatando os valores que estavam ocultos atrás da ideologia imposta pelo Estado.

Em uma resenha online, o autor oferece algumas percepções interessantes acerca do contexto do filme:

A ofensiva contra o inimigo comum era realizada principalmente através de uma mídia inteiramente controlada pelo partido conservador, que estava no poder. A liberdade de expressão, de informação e de imprensa, considerados como direitos fundamentais em diversos países do mundo atualmente, estavam muito distantes da realidade inglesa….

Interessante notar que a posição do observador influencia a análise que se faz acerca do objeto por ele estudado. V, por exemplo, na visão do chanceler, era um terrorista, um agitador, uma pessoa que não aceitava se submeter à ordem imposta pelo Estado. V era uma ameaça, um mal a ser neutralizado por se opor ao bem representado pelo Estado. No entanto, na concepção da população inglesa, V era um revolucionário. Um homem que estava agindo altruisticamente, se colocando em risco com o objetivo de abrir os olhos dos ingleses para a realidade que lhes era imposta.

O filme V de Vingança é uma obra marcante. Meio deprimente, até. Marcante porque mostra às novas gerações que os erros cometidos em um passado não tão distante continuam passíveis de ocorrer. Logo, funciona como um alerta contra posições maniqueístas, contra soluções fáceis para problemas que merecem uma melhor reflexão. Num contexto de comprovadas crises cíclicas, a porta fica aberta para que ideias e soluções fáceis, inseridas dentro de um discurso atraente, levem a humanidade a repetir seus erros.

Anúncios

Written by Paulo Amadeu

08/12/2009 às 9:40

Publicado em Close-up

Tagged with ,

%d blogueiros gostam disto: