L'itinérance

“Cinema: It is a ribbon of dreams.” (Orson Welles)

Filme: A Teoria do Amor

 I.Q., moviePrinceton é um dos centros de excelência acadêmica nos Estados Unidos, além de ser um lugar muito especial. Uma comédia que gosto acontece em Princeton. Uma brilhante acadêmica daquela famosa Universidade da Ivy League norte-americana está prestes a se casar com um conceituado professor da área de Psicologia. No entanto, seu tio, nada menos que o famoso Albert Einstein, não vê com bons olhos a união, acreditando que sua sobrinha será muito mais feliz ao lado de Ed, um mecânico que se apaixonou pela moça quando foi procurado para resolver um problema no carro. Einstein decide, então, atuar como Cupido.

Walter Matthau, em um de seus bons desempenhos, vive o famoso físico, que precisa resolver um problema: Como induzir sua espirituosa sobrinha Catherine a se afastar de seu noivo inglês e cair nos braços de seu par perfeito, o mecânico simples, espirituoso e inteligente, mas desprovido de qualquer currículo mais persuasivo. “É claro que o professor vai ter que gastar seus neurônios para transformar o rapaz simplório em um cavaleiro brilhante. Mas nunca subestime a inteligência de tio Albert… Nem o poder do amor”, traz uma breve resenha.

O título do filme em Inglês é I.Q. (Intelligence Quotient, QI em Português). A comédia romântica, com duração de 95 minutos, foi lançada em 1994 nos Estados Unidos. Em Portugal o título é O Génio do Amor. As taglines do filme são Think love (Pense amor) e With Einstein as cupid what could possibly go wrong? (Com Einstein como cupido, o que poderia possivelmente dar errado?). Tim Robbins (Ed Walters) e Meg Ryan (Catherine Boyd) são os protagonistas, e formam uma dupla simpática e divertida. O coadjuvante Stephen Fry está muito bem no papel de James Moreland, o erudito noivo que atua na área de Psicologia Experimental (ou “Excremental”, como ironiza Einstein). A direção é de Fred Schepisi e o roteiro foi escrito por Andy Breckman.

Um dado importante é que Einstein não parte sozinho para a empreitada. Ele recebe a ajuda de seus colegas cientistas, que formam um simpático grupo de quatro anciãos admiradores da loira. E quem são os demais integrantes do quarteto? Nada menos do que Kurt Gödel, Boris Podolsky e Nathan Liebknecht, “três dos homens mais inteligentes do século XX, mas que não sabem trocar uma lâmpada”. E se você não sabe quem foram estes caras, está na hora de se informar melhor, ou talvez estudar. Além disso, o conhecido empresário e filântropo Louis Bamberger, e nada menos do que o presidente Dwight David "Ike" Eisenhower também interagem com o enredo.

Claro que, como salientam as resenhas online, “o filme ficcionaliza várias pessoas reais. Albert Einstein não tinha uma sobrinha com o nome de Catherine Boyd. Kurt Gödel era tímido e introvertido, contrariamente ao seu homônimo neste filme ficcional. O filme dá a impressão de que Einstein e os seus amigos estavam todos à volta da mesma idade, quando, na realidade, eles estavam entre os 17 e os 30 anos mais jovem do que Einstein. Na vida real Louis Bamberger morreu em 1944, antes do período de tempo do filme.”

Entretanto, subtraídos esses antipáticos detalhes (que você nem deve levar em consideração, diga-se de passagem), a comédia é bem agradável. Recomendo! Na trilha sonora, em destaque a conhecida melodia infantil “Shine, Shine, little star” (“Brilha, brilha, estrelinha”). Quem já teve um filho ou filha aprendendo piano, deve conhecer. Tudo a ver! A sobrinha de Einstein é chamada de Catherine Boyd, e seu sobrenome é o mesmo do cometa que vai brilhar em Princeton, ao fim do filme…

Abaixo, a letra que em minha infância era cantada em Vila Sésamo (Sesame Street):

Brilha Brilha Estrelinha
Quero ver você brilhar
Lá em cima flutuar
Com diamantes a brilhar
Brilha Brilha Estrelinha
Quero ver você brilhar

Brilha Brilha Estrelinha
Eu queria ser você
Lá no alto, cintilante
Uma estrela eu quero ser
Brilha Brilha Estrelinha
Eu queria ser você

Brilha Brilha Estrelinha
Quero ver você brilhar
Faz de conta que é só minha
Só pra ti irei cantar
Brilha Brilha Estrelinha
Brilha Brilha lá no céu
Vou ficar aqui dormindo
Pra esperar Papai Noel

Anúncios

Written by Paulo Amadeu

05/06/2010 às 10:14

Publicado em Close-up

Tagged with ,

%d blogueiros gostam disto: