L'itinérance

“Cinema: It is a ribbon of dreams.” (Orson Welles)

Oscar de Melhor Filme: 1939-1948

Casablanca, 1942

Humphrey Bogart e Ingrid Bergman em “Casablanca” (Casablanca, 1942), Oscar em 1944

11. Do Mundo Nada se Leva (You Can’t Take It with You, 1938) – Filme de boa sensibilidade, trata-se de uma comédia romântica dirigida por Frank Capra. O roteiro é uma adaptação da peça de teatro de George S. Kaufman e Moss Hart, que ganhou o Prêmio Pulitzer em 1937, e estava em cartaz quando o filme estreou. Estrelando Jean Arthur, James Stewart, Lionel Barrymore e Edward Arnold. Em 1939 foi indicado ao Oscar em sete categorias, vencendo como Melhor Filme e Melhor Diretor; entre as indicações, a de Melhor Roteiro. Com bom senso de humor, e apelando ao improvável e extremo, evoca temas bem fundamentais. “É preciso coragem; todos têm medo de viver”. nota 8,0

12. …E o Vento Levou (Gone with the Wind, 1939) – Clássico e grandioso romance dramático dirigido principalmente por Victor Fleming e com roteiro adaptado do livro homônimo de autoria de Margaret Mitchell. A conhecida trilha sonora é de Max Steiner. Protagonizado por Vivien Leigh e Clark Gable, Gone with the Wind foi o primeiro filme a cores, usando a tecnologia Technicolor. Um verdadeiro fenômeno, é o segundo filme com o maior número de indicações ao Oscar; na edição de 1940 o filme teve 13 (treze) indicações, conseguindo vencer em 8 (oito), incluindo Melhor Filme, e recebendo ainda outras duas estatuetas especiais. nota 8,2

13. Rebecca, a Mulher Inesquecível (Rebecca, 1940) – Thriller psicológico dirigido por Alfred Hitchcock, o “mestre do suspense”, em seu primeiro projeto norte-americano. O roteiro foi baseado no romance homônimo escrito por Daphne Du Maurier, publicado em 1938. Joan Fontaine e Laurence Olivier são os atores principais. Na edição do Oscar de 1941 o filme venceu nas categorias de Melhor Filme e Melhor Fotografia. Foi indicado nas categorias Melhor Diretor, Melhor Ator (Laurence Olivier), Melhor Atriz (Joan Fontaine), Melhor Atriz Coadjuvante (Judith Anderson), Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Direção de Arte, Melhores Efeitos Especiais, Melhor Edição e Melhor Trilha Sonora (Franz Waxman). nota 8,4

14. Como Era Verde Meu Vale (How Green Was My Valley, 1941) – Drama dirigido por John Ford, com roteiro baseado no romance homônimo de Richard Llewellyn. Estrelando Walter Pidgeon, Maureen O’Hara, Anna Lee, Donald Crisp e Roddy McDowall. Em 1942 o filme foi indicado ao Oscar em 10 (dez) categorias, vencendo em cinco, entre as quais Melhor Filme e Melhor Diretor; entre as indicações não vencedoras, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora (Alfred Newman). Na trilha sonora, destaque para tradicionais corais galeses; o País de Gales, onde a história é ambientada, é famoso pelo canto coral. nota 7,9

15. Rosa da Esperança (Mrs. Miniver, 1942) – Drama de guerra dirigido por William Wyler. Baseia-se numa fictícia dona-de-casa britânica criada por Jan Struther, em 1937, para um série de colunas do jornal The Times. Filme destinado a enaltecer o espírito patriótico em pleno conflito bélico na Segunda Grande Guerra. Estrelando Greer Garson, Walter Pidgeon e Teresa Wright. Em 1943 foi indicado ao Oscar em 12 (doze) categorias, vencendo em seis, entre as quais Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Greer Garson) e Melhor Roteiro. Walter Pidgeon foi indicado como Melhor Ator. Na trilha sonora, tradicionais hinos religiosos britânicos em forma de marcha. nota 7,7

16. Casablanca (Casablanca, 1942) – Drama romântico dirigido por Michael Curtiz. O roteiro é baseado em peça teatral de Murray Burnett e Joan Alison. É considerado por muitos como um dos melhores filmes de todos os tempos. Conta a saga daqueles que tentavam fugir da Europa, ocupada pelos nazistas, para os Estados Unidos. Protagonizado por Humphrey Bogart e Ingrid Bergman. Em 1944 venceu o Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro. Foi indicado nas categorias de Melhor Ator (Humphrey Bogart), Melhor Ator Coadjuvante (Claude Rains), Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhor Trilha Sonora (Max Steiner). A canção As Time Goes By é uma marca do filme. nota 8,8

17. O Bom Pastor (Going My Way, 1944) – Comédia musical dirigida por Leo McCarey, estrelando Bing Crosby, Barry Fitzgerald e Frank McHugh. Jovem padre chega em paróquia em Nova York, onde um velho sacerdote é o responsável. Na edição do Oscar de 1945 o filme foi indicado em 10 (dez) categorias, vencendo em sete, entre as quais Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Bing Crosby), Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Ator Coadjuvante (Barry Fitzgerald). A trilha sonora tem alguns bons momentos, e o filme também recebeu o Oscar de Melhor Canção Original por Swinging on a Star. nota 7,4

18. Farrapo Humano (The Lost Weekend, 1945) – Drama dirigido por Billy Wilder, estrelando Ray Milland, Jane Wyman e Phillip Terry. Em 1946 o filme foi indicado ao Oscar em sete categorias, vencendo em quatro: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Ray Milland) e Melhor Roteiro. Entre as indicações, a de Melhor Trilha Sonora (Miklós Rózsa). Com um conteúdo bastante atual, e numa excelente interpretação de Ray Milland, o filme retrata o alcoolismo de forma realista, tendo provocado imediata reação das indústrias de bebidas alcoólicas norte-americanas. O filme tem uma cena imortalizada de Libiamo ne’ lieti calici (Drinking Song) de La Traviata de Giuseppe Verdi. nota 8,1

19. Os Melhores Anos de Nossas Vidas (The Best Years of Our Lives, 1946) Drama de guerra, dirigido por William Wyler. O roteiro é baseado em romance homônimo de Mackinlay Kantor. Três veteranos retornam para casa ao final da Segunda Guerra Mundial e precisam lidar com o desafio de retomar suas vidas. Na edição do Oscar de 1947 o filme venceu nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator (Fredric March), Melhor Ator Coadjuvante (Harold Russell), Melhor Edição e Melhor Roteiro. Foi indicado na categoria de Melhor Mixagem de Som. Harold Russell recebeu um prêmio especial por melhor atuação não-profissional. nota 8,3

20. A Luz é Para Todos (Gentleman’s Agreement, 1947) – Um bom drama dirigido por Elia Kazan, com roteiro baseado no livro homônimo de Laura Z. Hobson. Um dos primeiros filmes a abordar diretamente o preconceito racial, denunciando o antisemitismo que era tratado de forma velada, num “acordo de cavalheiros”. Estrelando Gregory Peck, Dorothy McGuire, John Garfield, Celeste Holm e Dean Stockwell. Em 1948 o filme ganhou o Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Atriz Coadjuvante (Celeste Holm). Foi indicado ainda em cinco outras categorias, entre as quais: Melhor Ator (Gregory Peck), Melhor Atriz (Dorothy McGuire) e Melhor Roteiro (Moss Hart). nota 7,4

Confira também a lista anterior: 1929-1938. Em meu espaço pessoal no Youtube talvez você encontre vídeos para alguns destes filmes, com cenas selecionadas e trailers. Consulte as Listas de Reprodução.

Written by Paulo Amadeu

04/09/2011 às 15:17

Publicado em Oscar de Melhor Filme

Tagged with

%d blogueiros gostam disto: