L'itinérance

“Cinema: It is a ribbon of dreams.” (Orson Welles)

Dez Filmes (53)

Publico mais uma lista de dez (10) filmes a que tenho assistido — em alguns poucos casos, mais de uma vez. Assim como nas listas anteriores, procurei incluir vários gêneros, épocas e avaliações. Os links remetem para um site especializado em cinema.

Das Boot, 1981

Grupo de Oficiais em “O Barco; Inferno no Mar” (Das Boot, 1981). Jürgen Prochnow à direita.

1. O Barco; Inferno no Mar (Das Boot, 1981) – Filme alemão, dirigido por Wolfgang Petersen. Muito bem produzido, trata-se de uma adaptação do livro homônimo de Lothar-Günther Buchheim. Estrelando Jürgen Prochnow, Herbert Grönemeyer e Klaus Wennemann. A história de um submarino alemão da Segunda Guerra Mundial.  Meticulosa atenção aos detalhes, contexto masculino e forte mensagem antibelicista. O realismo produz uma tensão crescententemente opressora, que traz consigo uma sensação claustrofóbica. Em 1983 o filme foi indicado ao Oscar em seis categorias, entre as quais Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Fotografia. “Você precisa de bons homens. Bons homens são tudo”. nota 8,5

2. Drive (Drive, 2011) – Filme dirigido por Nicolas Winding Refn, com roteiro adaptado do romance homônimo por James Sallis, publicado em 2005. Estrelando Ryan Gosling, Carey Mulligan, Albert Brooks e Bryan Cranston. Roteiro sem grandes diferenciais e de diálogos rasos, que recorre a momentos de requintes de violência e bastante sangue. O herói: um tipo reservado, lacônico, sombrio mesmo, e que traz um vazio emblemático. Motorista habilidoso, trabalha como mecânico e dublê em filmes de Hollywood, e à noite presta serviços criminosos. Boa cadência musical, bom enquadramento de câmera e boa fotografia. Há indicações de que concorrerá a algum prêmio na próxima edição do Oscar.nota 8,3

3. Fale com Ela (Hable con ella, 2002) – Drama genuinamente espanhol, inclusive envolvendo touradas, dirigido por Pedro Almodóvar. Estrelando Rosario Flores, Javier Cámara, Darío Grandinetti, Leonor Watling e Geraldine Chaplin. Em 2003 o filme ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original e foi indicado na categoria Melhor Diretor. Na trilha sonora, destaque para a participação de Caetano Veloso, ao vivo, com Cucurrucucú Paloma e de Elis Regina com Por toda a minha vida (Tom Jobim/Vinícius de Moraes). “Tem de prestar atenção nelas, falar com elas… Lembrar que existem, que vivem e que são importantes para nós”. nota 8,0

4. Vítimas da Tormenta (Sciuscià – Ragazzi, 1946) – Filme dirigido por Vittorio de Sica, considerado uma obra-prima do neorrealismo italiano. Em Roma, no difícil período pós-guerra, dois meninos engraxates trabalham para sobreviver e sustentar a família, e mesmo assim não deixam de sonhar. São também vítimas de confusões e de imensos sofrimentos, inclusive o pesadelo da reclusão em um “reformatório”, e acabam deixando sua infância para trás. Em 1948 o filme ganhou o Oscar Honorário de Melhor Filme Estrangeiro, e foi indicado na categoria Melhor Roteiro Original. nota 8,0

5. O Tigre e o Dragão (Wo hu cang long, 2000) – Filme taiuanês, em consórcio que envolve também China, Hong Kong e Estados Unidos. Dirigido por Ang Lee, com roteiro baseado em livro de Du Lu Wang. Filme de artes marciais, com fotografia que permite uma viagem muito agradável. Em 2001 foi indicado ao Oscar em 10 (dez) categorias, vencendo em quatro delas: Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte e Melhor Trilha Sonora Original (Tan Dun). Entre as demais indicações, as de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Canção Original com A Love Before Time. “Quando se trata de sentimentos, até grandes heróis podem ser idiotas”. nota 8,0

6. Através de um Espelho (Såsom i en spegel, 1961) – Filme sueco, do gênero drama, escrito e dirigido por Ingmar Bergman. Apenas quatro personagens, de uma mesma família, que vivem em uma ilha. O quarteto de pessoas cultas busca o sentido da existência humana, e uma delas, a única mulher no drama, sofre com um transtorno psíquico. Em 1962 o filme ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e em 1983 foi indicado como Melhor Roteiro Original. No score musical, a Cello Suite No. 2 in D Minor (BWV1008) de  J. S. Bach. “Só posso dar a você uma ideia da minha própria esperança. É saber que o amor existe de verdade no mundo humano”. nota 8,0

7. Terra de Ninguém (No Man’s Land, 2001) – Escrito e dirigido por Danis Tanović, o filme conta no elenco com Branko Djuric, Rene Bitorajac, Georges Siatidis e Katrin Cartlidge. Durante a Guerra da Bósnia, no front do conflito entre sérvios e bósnios, numa trincheira entre as duas linhas de frente (“terra de ninguém”), dois soldados representam as visões e argumentos de ambos os lados. Entremeando o conflito, a Força de Proteção da ONU e a imprensa. Ao final, a verdade das mentiras e sacrifícios. Recebeu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2002, representando a Bósnia e Herzegovina. “Ninguém é neutro diante da morte”. nota 8,0

8. Os Miseráveis (Les misérables, 1935) – Filme dirigido por Richard Boleslawski, é a segunda adaptação para o cinema da fantástica obra homônima de Victor Hugo. Estrelando Fredric March, Charles Laughton, Rochelle Hudson e Marilyn Knowlden. Um drama piscologiamente denso, com dois personagens fortes, instigantes e emblemáticos. Alguns dilemas éticos provocantes, como a relação entre lei e justiça. Na edição do Oscar de 1936 o filme foi indicado em quatro categorias, entre as quais Melhor Filme e Melhor Fotografia. “Eu cumpri minha pena. Agora, ao que parece, o meu castigo está começando”. nota 7,7

9. Gosto de Cereja (Ta’m e guilass, 1997) – Filme iraniano dirigido por Abbas Kiarostami. Estrelando Homayon Ershadi, Abdolrahman Bagheri, Afshin Khorshid Bakhtiari e Safar Ali Moradi. O foco do filme é o suicídio. Aos cinquenta anos, um homem planeja um suicídio e procura alguém para ajudá-lo, mas todos se recusam por algum motivo. É um trabalho fácil, pois basta uma pá e um pouco de terra sobre ele; além disso, será um trabalho bem pago. Finalmente, ele encontra um velho taxidermista turco que concorda em ajudá-lo. “Você quer abster-se do gosto das cerejas?” nota 7,5

10. Um Dia, Um Gato (Az prijde kocour, 1963) – Filme tcheco dirigido por Vojtech Jasný, estrelando Jan Werich, Emília Vásáryová, Vlastimil Brodský, Jirí Sovák, Vladimír Mensík e Jirina Bohdalová. Beleza poética e fantasia, numa alegoria criativa, envolvente e divertida. O texto imaginativo salienta a verdade do infantil em constraste com a inautenticidade prevalecente do mundo adulto. Como você reagiria caso sua natureza mais essencial se tornasse plenamente evidente, pública e indisfarçável? A sua verdade exposta em cor vívida e definida? Boa trilha sonora de Svatopluk Havelka, com alguns momentos coreográficos. “Sempre temos pressa quando estamos envergonhados”. nota 7,2

Confira também as listas anteriores de dez (10) filmes: 52, 51, 50, 49, 48… Não constam destas listas aqueles filmes sobre os quais já tenhamos publicado algum post. Em meu espaço pessoal no Youtube talvez você encontre vídeos para alguns destes filmes, com cenas selecionadas e trailers. Consulte as Listas de Reprodução.

Written by Paulo Amadeu

09/11/2011 às 17:46

Publicado em Assistidos Recentemente

Tagged with

%d blogueiros gostam disto: